Wednesday, August 10, 2011

Vamos fugir do tempo
Como se o tempo não passasse por nós
Eterno

Este sentir
Sem distância

Saber de sentir
Fechar os olhos
Sorrir

Vamos fugir deste espaço
Para o onde o espaço não existe
O que sinto
Resiste



1 comment:

O Profeta said...

Um barco parado no cais de espera
Amarras soltas do frio ferro
Uma gaivota adormeceu sem penas
Uma criança chora no meio do aterro

Cheio de penas amarro a alma
Uma saudade arrocha meu peito
Sou um caçador de nuvens breves
Um romântico sem ponta de jeito

Um barco de papel perdido do norte
Roseira plantada num campo de pedras nuas
Uma casa perdida da sua cidade
Um labirinto feito de mil e muitas ruas


Doce beijo